CHEGADA NO MATE (Juvenal Dal Castel)

Quando já estou mais cedo
É bom porque te vejo chegar
Até quando mais tarde chego
É bom ver a porta se abrindo
Na magia do teu olhar
A cuia quente do chimarrão
Aquece a mão que vem do coração.
Outra mão me aperta e me abraça
Misturando o amargo do mate
Ao doce do beijo da boca.

É só o fim de mais um dia
Galopando contra o tempo
De uma lida muito louca
Na corrida do sustento.
Fumaça da chaminé diz que fogo está aceso
E as crianças tão na volta conversando e se aquecendo
Já tá todo o mundo em casa e a casa cheia de aconchegos
Não tem chau pra quando saio porque é muito cedo,
Mas tem festa quando chego.

Quando já estou mais cedo
Fu- maça da chaminé diz que
fogo está aceso
É bom porque
te vejo chegar.
E as crianças
tão na volta conversando e se
Aquecendo
E quando mais
tarde chego
Já ta todo o mundo
em casa e a casa cheia de
aconchegos.
É bom, é bom, ver a porta se
a brindo.Não tem tchau pra quando saio
porque é muito cedo,
Mas tem festa quando chego.